3.3.09

Afectos


É o segundo livro com que fico de quem não teve tempo para os acabar de ler. Passo as mãos pela capa para consolo da minha pele. Não consigo mudar o marcador para outra página, a leitura ficou suspensa á espera que alguém prossiga onde esta parou. Está a fazer um ano que to ofereci, não fui capaz de comprar o banal do perfume, da camisola sem importância… tinha de ser algo que valesse mais que o objecto em si. Já não precisamos de nada…temos as casas ocas repletas de coisas inúteis. Por que não me levas antes até ao campo? Aperta-me a mão! Há quanto tempo não o fazias? Ganhei coragem e escrevi, amo-te. Quando nos resta pouco tempo, temos de dizer tudo o que devíamos ter dito a vida inteira. Aglutinei tudo nessa palavra, como se nela coubesse tudo aquilo que te queria ter dito.
Entreguei-te o livro, agradeceste emocionado. Uns dias depois disseste “não vai ser fácil para mim ler este…”

1 comentário:

Eunícia disse...

Que coisa LINDA!